Reviews

REVIEW: Sonic Mania

Desenvolvedores: Pagoda West, Christian Whitehead, Headcannon
Publicadora: SEGA
Plataformas: PC (Steam), PS4, Xbox One, Nintendo Switch
Versão analisada: PC (Steam)
Assista à análise em vídeo

O ouriço azul mais famoso e querido do mundo está de volta em um jogo de plataforma 2D inédito, remetendo à sua época de inquestionável vigor durante os anos 90. Sonic Mania é uma grande celebração do legado do mascote da Sega, resgatando o seu passado e abrindo caminho para um futuro promissor.

O jogo foi desenvolvido pelo estúdio Pagoda West em colaboração com Christian Whitehead e Headcannon, que trabalhavam em fan games do Sonic originalmente e que, com a criação da engine própria, conseguiram a oportunidade de trabalhar no remake de Sonic the Hedgehog e Sonic the Hedgehog 2 para dispositivos móveis e no remake de Sonic CD para a plataforma Steam. Sonic Mania foi, na prática, o primeiro jogo no qual o grupo de fãs criativos e apaixonados pela série tiveram a oportunidade de trabalhar em algo completamente único seguindo os moldes dos jogos 2D clássicos do ouriço, mas com base na tecnologia que temos à disposição na atual geração de consoles — e de forma oficial, já que o jogo foi abraçado pela Sega e supervisionado pela Sonic Team.

A tecnologia de hoje em dia colabora para que tenhamos um impacto visual que nunca seria possível nos console de 16 bits, permitindo com que o jogo abuse de trechos de velocidade e de elementos do cenário com animações próprias que colaboram para a construção de ambientes inesquecíveis.

Tudo começa com um grupo de robôs de Robotnik que foram enviados à Angel Island, onde acontecem os eventos de Sonic 3 & Knuckles, para identificar uma fonte de energia misteriosa que estava sendo provocada por uma nova gema, chamada aqui de Phantom Ruby. Sonic e Tails também rastreavam o sinal do Ruby, mas já era tarde demais: os robôs de Robotnik obtiveram o Phantom Ruby, provocando um lapso temporal que transporta os heróis para a Green Hill Zone e que transforma o grupo de robôs em novas máquinas independentes.

Sonic Mania conta com zonas inéditas, mas a maior parte das suas fases consiste em zonas clássicas reimaginadas que foram cuidadosamente construídas para proporcionarem nostalgia aos fãs de longa data, mas ainda assim oferecendo uma experiência completamente nova. Pode ser que o fato de revisitar zonas antigas decepcione os jogadores que querem explorar zonas inéditas, mas além de a presença destas zonas clássicas serem justificáveis com base na história do jogo, elas contam com muitos caminhos diferentes e com elementos que as transformam em algo que podemos chamar de “Ato 3” ou “Ato 4” das fases que conhecemos.

O tamanho das fases incentiva o fator replay, já que o jogador se sentirá interessado em explorar os diferentes caminhos para descobrir todos os segredos; a caça pelas Esmeraldas do Caos e o clássico Bonus Stage de Blue Spheres também colaborarão para o desbloqueio de extras e para o acréscimo das horas de jogo.

Cada cantinho de Sonic Mania é uma grande referência ou homenagem a algo que marcou a história do mascote: apenas os grandes fãs e jogadores mais atentos conseguirão identificar personagens perdidos, inimigos deletados dos jogos anteriores e pequenos toques nas trilhas sonoras que traduzem a proposta do level design.

Visualmente falando, o jogo é absurdamente lindo. Embora muitas pessoas possam achar sprites 2D um tanto quanto obsoletos hoje em dia, é inegável que eles possuem um charme especial: basta observar como os jogos 2D da época do Super Nintendo ou Mega Drive envelheceram muito melhor em relação aos jogos tridimensionais do PlayStation 1, por exemplo. Os sprites estão com muitos quadros de animação, proporcionando movimentos fluidos — sem contar que eles também estão muito mais expressivos, sendo muito comum se deparar com Sonic, Tails e Knuckles fazendo caretas engraçadas dependendo do que acontece durante as fases.

Em adição, a trilha sonora deveria ser considerada uma das sete maravilhas do mundo: as músicas clássicas receberam novos arranjos e cada ato das zonas conta com versões diferentes das músicas, sem contar que elas também contam com muitas referências que justificam as decisões de level design e pequenos detalhes presentes nos cenários. A composição do português Tee Lopes realmente é de emocionar qualquer fã do ouriço e desperta o desejo de que ele trabalhe em mais jogos da franquia.

O jogo também conta com modalidades diferentes para estender a sua vida útil, incluindo Time Attack, Competição (que remete ao modo do Sonic 2) e ainda é possível jogar com um amigo enquanto estiver com o Sonic e o Tails juntos, semelhantemente aos games clássicos. A possibilidade de escolhermos entre três personagens jogáveis também favorece o fator replay.

Infelizmente, nem tudo são rosas: Sonic Mania sofre com pequenos bugs que podem incomodar durante a jogatina. Durante as transmissões ao vivo que realizei jogando com os leitores e internautas do site na Twitch TV, experienciei vários problemas com a trilha sonora, que simplesmente não tocava no início de alguma batalha contra chefe, e com sprites que simplesmente ficavam tremendo durantes as cutscenes.

Posso afirmar que Sonic Mania não é um jogo perfeito apenas pelo seguinte motivo: a equipe de desenvolvimento se limitou demais às temáticas de fases já conhecidas pelos jogadores, mais como uma forma de apelar à nostalgia. É inegável que as reimaginações ficaram sensacionais e proporcionam uma experiência completamente nova, mas as poucas zonas inéditas que foram introduzidas ao jogo denunciam o quão capazes os desenvolvedores são de criar novas temáticas que sejam abraçadas pelos fãs, já que as minhas fases prediletas do jogo são justamente as inéditas.

Em suma, Sonic Mania é uma experiência inesquecível e altamente recomendada para qualquer fã de Sonic ou de jogos de plataforma. Caso você não tenha jogado os games clássicos da era do Mega Drive, recomendo que os jogue para identificar as referências e se emocionar, já que mais do que um novo jogo do Sonic, Sonic Mania é uma celebração do passado, do presente e do futuro do ouriço.

  • Rafael Marcos

    Gostaria de pontuar meus pontos negativos em relação ao que eu não gostei ou achei em falta no sonic mania:

    1 – Na cena quando aparece o logo SEGA do inicio, poderiam ter colocado o sonic correndo formando a palavra igual nos jogos antigos mas com o sprite novo dele.(mas isso é só um detalhe fru fru).
    2 – Eles poderiam ter colocado alguma fase do sonic de master system/game gear.
    3 – Na minha opinião eles tinha OBRIGAÇÃO de colocar a Ice Cap Zone neste jogo (imagina uma trilha remix dessa fase nesse jogo (SÓ IMAGINA!).

    No mais é isso que vc falou, pra mim (embora tenha jogado pouco sonic 2 e 3 & knucles) é o melhor jogo 2D de sonic pra mim, pois a simbologia do sonic que é ser veloz e correr pra caramba, foi implementada com louvor nesse jogo, nunca tinha visto o sonic com tantas opções de correr em uma fase, sem contar os vários caminhos alternativos, no mais, excelente análise Brunão!